Sobre

Luiz Antonio foi o melhor nome que meu pai (Sr. Antonio Luiz) conseguiu pensar pra mim, logo antes de eu nascer. Essa foi minha primeira felicidade e identidade.

Desde então venho me construindo e desconstruindo:

Fui católico, mas hoje só “sou(l)”: guiado por memória dos erros passados e instinto;

Era “Nerd”, e ainda gosto de toda essa bagunça da cultura pop. Só que agora deixo para “os outros” me restringirem com suas tags;

Louco, continuo sendo. Ainda acredito na felicidade enquanto meio, e não fim. Ainda quero aprender e conhecer: histórias, História, livros, lugares e pessoas.

Viver pra mim é isso: uma ideia na mente e um sorriso no rosto. E viver no plural: fazer as pessoas ao meu redor sorrirem, compartilhar com eles minhas descobertas e reflexões.

Para isso escrevo aqui.

Anúncios